Categoria: Textos

Dica #4 – COMUNICAR COM A EQUIPA

A comunicação do guarda-redes com os seus companheiros de equipa sempre foi vista como sendo um atributo e característica associada ao bom desempenho da organização defensiva e da equipa. Contudo, falar acertadamente durante o jogo não é tarefa fácil! O guarda-redes vai adquirindo, através da experiência e de situações diferenciadas de jogo, novos padrões de comunicação com os seus companheiros, de forma a tornar o processo comunicativo pouco complexo e eficaz! A maioria dos discursos feitos pelo guarda-redes durante o jogo é criada através da sua leitura do jogo, algo que também sofre muitas melhorias durante os anos… Assim,...

Read More

Dica #3 – SABER JOGAR COM OS PÉS

O futebol moderno exige cada vez mais dos jogadores, a nível físico, tático, técnico e psicológico, e a posição específica de guarda-redes não foge a essa evolução! Com os modelos de jogo que se aplicam às características do futebol de hoje, os guarda-redes são quase que obrigados a saber jogar com os pés, dando soluções táticas e entrando na organização do jogo da sua equipa. Por vezes, existem jogos que exigem aos guarda-redes mais ações com os pés do que com as mãos, algo que torna fundamental a inclusão deste aspeto técnico no treino. Treinar receções e reposições de...

Read More

Dica #2 – LEITURA DO ADVERSÁRIO

Conseguir ler o adversário com eficácia implica muita concentração e alguma experiência por parte do guarda-redes. Isto envolve entender a mente e avaliar os movimentos corporais ao detalhe do jogador adversário, tentando antecipar as suas decisões no menor período de tempo possível. O que tem então que fazer o guarda-redes para obter sucesso neste parâmetro? Em todos os treinos o guarda-redes deve estar focado neste aspeto, tentando melhorá-lo diariamente. Em treino existem várias situações que se aplicam ao jogo, onde é possível ao guarda-redes incrementar a sua capacidade de leitura do adversário, como por exemplo em situações de 1×1,...

Read More

Dica #1 – AUTOCONFIANÇA

A confiança é o ato de confiar na análise da veracidade de um facto, devido a experiências anteriores. É a esperança, disposição ou tendência para ver tudo pelo lado bom. A autoconfiança é a convicção que uma pessoa tem, de ser capaz de fazer ou realizar alguma ação. Na abordagem psicoterapêutica de Friederike Potreck-Rose e Gitta Jacob (2008), para o aumento da autoestima, a autoconfiança representa um dos quatro pilares desta, sendo definida como “uma postura positiva com relação às próprias capacidades e desempenho” e inclui as convicções de saber fazer alguma coisa, de fazê-lo bem, de conseguir alcançar...

Read More

3# Rafael Rocha: Controlo da Profundidade

Controlo da Profundidade. A profundidade defensiva controla-se essencialmente pela distância que a última linha tem para a bola. É uma das características coletivas mais complicadas de se perceber. Se a última linha jogar demasiado baixa os setores tendem a ficar distantes. Se joga demasiado alta é difícil controlar o espaço nas costas. Como participa o Guarda-Redes neste processo? Qual o posicionamento correto? Temos um “problema” na formação que é a transição do futebol 7 para o futebol de 11. Um grande “salto” quer em termos de tamanho de baliza, quer em termos de espaço com o aumento da área...

Read More

2# Rafael Rocha: Coordenação Motora.

A Importância da Coordenação Motora. A coordenação é de extrema importância para o domínio técnico e motor. É da responsabilidade da coordenação o atleta conseguir executar movimentos complexos e de os conseguir fazer num menor tempo (aprendizagem). Segundo Hollman e Hettinger (1989), consideram a coordenação como “ação sinérgica do sistema nervoso central e da musculatura esquelética dentro de uma determinada sequência de movimento”. Então, a coordenação é a capacidade de executar o que pensámos, o mais rápido e corretamente. Então qual a importância da Coordenação Motora no dia-a-dia do Guarda-Redes? Não será um dos aspetos a ser normalmente treinado...

Read More

1# Rafael Rocha: Treinar o Cérebro!

Preparar o Guarda-Redes para o jogo é treinar o jogo, mas principalmente o “cérebro” para perceber o jogo. É importante ter uma técnica de excelência, é necessário ter as características físicas ideais, etc, mas que nos interessa que o Guarda-Redes tenha tudo isto se não souber como, quando e onde aplicar. Onde entramos nós, como treinadores, neste processo? Na minha opinião deveremos “dar” ao GR nos processos de treinos, o maior número de tarefas, para que tenha “gravado na mente” um grande leque de possíveis respostas. Se aparecer uma situação que nunca tenha sido vivenciada, teremos bastantes dificuldades em...

Read More

Relação Treinador – Jogador

– Um amigo ou uma autoridade máxima? Em tudo o que nos rodeia, somos confrontados com uma hierarquia de poder. Seja na educação, no seio familiar, no desporto ou em outras componentes diversas na sociedade. Tudo tem como base uma definição atempada de um líder perante o restante grupo. Como um filho obedece a um pai ou um aluno respeita um professor. Toda a relação entre dois indivíduos pode ser melhorada e é nisso que nos iremos focar. No Desporto, o treinador tem de ser afinal um amigo ou um ser autoritário? Especificando para um treinador de guarda-redes e...

Read More

6# Integrado: Reposições com o pé

Treino: Do Específico ao Integrado – Reposições com o pé: perfeccionismo ou exagero? Tema controverso ao longo dos últimos anos. O que é facto é que todos os guarda redes contemporâneos utilizam uma só técnica de reposição com o pé. Mas já lá vamos. Primeiro é de salientar que quando falamos de reposições com o pé não estamos a referir-nos aos pontapés de baliza e ao jogo de pés em passe atrasado. Estamos apenas e só a referir a reposição efectuada com o pé, proveniente das mãos do guarda redes. Dito isto, é também importante dar uma pequenina nota...

Read More

5# Integrado: Passe atrasado

Treino: Do Especifico ao Integrado – Passe Atrasado: Os Guarda-Redes também fazem coberturas Muitos jogos temos visto por este Mundial 14’ fora. É certo que findato a época nos clubes, temos tendência a olhar para o futebol espectáculo, mas ainda assim não deixamos de ter um olho clínico sobre os guarda redes, ainda que numa análise menos profunda. Nessa mesma análise, reparamos que algumas selecções ou culturas menos desenvolvidas no treino de guarda redes, nomeadamente algumas selecções africanas ou sul americanas, acabou-se por se observar que alguns guarda redes não realizam algo que se chama uma cobertura ofensiva, que...

Read More