Parte II: Um Domingo de confirmações: Hervé Koffi

Depois de jogar Pasinato, e podem ver a Parte I do artigo no seguinte link , chegou a vez de Hervé Koffi (B SAD) que recebeu o FC Porto e ajudou ao empate a um golo, tendo apenas sofrido golo de penalti.

Koffi é um guardião enérgico mas com muita maturidade táctica e técnica. É mais que um guarda-redes ágil, mas um guardião de boa tomada de decisão na definição do primeiro posicionamento perante cada momento do jogo e na acção técnica a adoptar para resolver os lances. Onde isto mais se percebe e se salienta é no jogo aéreo após cruzamento onde percebe claramente o pé dos batedores e a zona onde estão, tal como as trajectórias prováveis da bola, e define com isso os posicionamentos óptimos, e também confortáveis, para a acção seguinte (de saída em duelo no ar ou de reajustar para a baliza e esperar remate).

Quando ganha adrenalina no jogo e à medida que se “vai colocando” na partida pela sua ousadia e espírito proactivo, cresce no jogo. E as acções tornam-se tão naturais quanto um treino, independentemente do palco onde joga e contra quem joga. E estas capacidades são distintas. É curioso constatar que, com 1.86m, é dos melhores nas acções aéreas e nos respectivos duelos.

Se é um guarda-redes que tem boa capacidade técnica com o seu pé direito no momento do passe atraso, que domina o espaço também fora da área e os momentos defensivos na baliza e em cruzamento, onde precisa de melhorar? A estabilidade da tomada de decisão num jogo inteiro e não se deixar fluir de forma superlativa apenas pela emoção e pelo que o jogo lhe vai dando de estímulos defensivos/ofensivos. Pois a emoção e a razão estão muitas vezes em cooperação mas se se sobrepõe a emoção…  a acção mais racional é deteriorada e pode trazer danos.

Esta semana perguntavam-nos se ele podia figurar num clube “grande”. Respondemos que o perfil “levezinho” morfológico não é muito apreciado pelos mesmos mas que, onde pode haver mais dúvidas sobre o seu rendimento é se se consegue manter com rendimento e com a melhor tomada de decisão e acção técnica quando só tem um ou dois estímulos defensivos e onde a concentração tem de ser quase máxima pela menor quantidade de acções contrárias que teria de enfrentar, não ajudando assim o efeito “trampolim” que o próximo jogo oferece aos jogadores pelas acções que vai tendo.

Fica então o vídeo do guardião contra o FC Porto e reparem nos posicionamentos e nas acções no jogo aéreo e também restantes momentos defensivos:

Fotografia destaque: Filipe Amorim/Global Imagens

Facebook Comments