Renan: Os princípios da posição-base do GR – (Des)equilíbrio corporal em remate

É leccionado desde a formação que a posição-base do GR tem de ter os pés à largura dos ombros e que a maioria dos movimentos são com base nesta “máxima”. Porque gera maior equilíbrio e possibilidade de maior número de movimentos/acções a partir desta base.

Ora, quando um remate, por exemplo, com bola descoberta (sem oposição), dentro da área e onde quem remata tem maior controlo do lance e chances de golo, o guardião tem de procurar algo no seu jogo – seja no posicionamento ou posição corporal – para contrariar esse favoritismo do adversário para marcar golo. Ora, se o GR logo após o remate não cumpre com as bases mencionadas em cima, que são a base corporal para a acção seguinte, é confirmar o favoritismo do adversário e não conseguir impedir, por si mesmo, o final indesejado que é o golo.

Via Instat, Imagens Sporttv.

Posição antes do remate. Braços e mãos para dentro.

Posição após remate: Pés além da largura dos ombros

E, neste caso, se a posição inicial se percebe (no campo e do corpo), o que não se entende é a razão de, após o remate, abrir as pernas e passar esta tal largura referida, retirando assim raio de acção para fazer a defesa. O corpo tem de estar devidamente fixo pelos apoios no chão e, com uma bola nesta distância o GR, tem de ganhar raio de acção para fazer a defesa. Ora, se as pernas, após o remate, abrem além destes pressupostos, o GR perde principalmente equilíbrio para fazer o devido movimento de defesa e assim o alcance dos membros superiores e inferiores será menor. Quando não se cumpre nas bases, todo os restantes movimentos/acções irão sofrer um efeito “dominó” e irem-se quebrando, umas às outras, até à acção final que terá menos hipóteses de sucesso.

Esta é a diferença entre a amplitude dos pés e o que seria se estivessem à largura dos ombros.

A amarelo a amplitude dos pés/pernas e a branco a posição que seria ideal para os pés, tendo em conta o princípio dos pés à largura dos ombros.

Ora vejam o lance:

No Twitter:

Facebook Comments