UCL final: Parte da perfeição atingida, nas mãos, pés e cabeça de Alisson

Ter uma decisão correcta com os pés, por exemplos, vai além de acertar um passe. Por vezes a melhor decisão para não colocar a equipa em risco, por já ter pressão em cima de si e não ter alternativas curtas com os pés, é colocar a bola longe mesmo que não fique jogável. E foi isso também que Alisson foi muito bom ontem na final da Champions que saiu vencedor pelo Liverpool sem golos sofridos (2-0 vs Tottenham).

O video seguinte mostra todas as decisões de qualidade que Alisson tomou ao longo da partida, seja nos momentos em que devia esperar para que a equipa recuasse para jogar curto, seja no espaço onde estava bem posicionado e com movimentos rápidos conseguia chegar com facilidade a zonas que, caso estivesse numa posição errada, podia ficar em perigo… seja em contexto de cruzamento – no caso, com batedores que batiam para fora, ele estava posicionado mais “alto” e responde ainda a alguns cruzamentos altos com sucesso – seja na defesa de baliza (a parte mais visível ao olho comum) onde fez algumas defesas de grande dificuldade.

Além do acerto táctico e técnico, é necessário ainda salientar a forma calma, segura e ponderada na tomada de decisão. E isso, além de o colocar estável no jogo, transmite tranquilidade à sua equipa. E isto é um “pormenor” importante que faz a diferença. Porque um GR não pode ser um catalisador de caos… Como se comprova na imagem seguinte…

 

 

Facebook Comments