Campeonato Portugal: Os 8 guardiões que vão lutar pela subida à 2a liga (Parte I)

Por Gonçalo Xavier, Fundador e Gestor d’A Última Barreira

Num campeonato que merece cada vez melhor atenção, é necessário falar um pouco sobre cada um dos guarda-redes presentes no playoff de subida. São 8 no total, que irão disputar pelos seus clubes a subida à 2a liga portuguesa (só há duas vagas), que irão ser agora descritos, sendo esta a primeira parte/metade da análise.

Leonardo – Lusitânia de Lourosa:

Image may contain: 2 people, people smiling, people standing and beard

28 anos de idade, 1.90m de altura. O guardião português foi reforço desta época da equipa, vindo de outro equipa presente neste playoff: o Espinho. A recepção não foi a melhor, especialmente contra o rival – que ficou em 1o lugar na mesma série de acesso a esta fase – mas rapidamente deu a volta por cima.

Imponente fisicamente, é um monumento difícil de quebrar, principalmente quando está “em dia sim”. Perdeu parte da morfologia “leve” que possuía, por exemplo, na época passada e compensa isso de outra forma mais atlética num raio mais curto de acção. Antes mais rápido e proactivo até a ir aos pés do adversário… hoje mais posicional e de reacção. Tem facilidade em usar os membros superiores para defesas perante remates em cima do seu corpo e tenta estar sempre com o corpo atrás da bola em qualquer remate. Posição e equilíbrio é parte da sua base para defender, tal como os apoios bem fixos.

Vibrante, entusiasmante, procura criar ligação desde cedo com o jogo/bancada e perante um estádio que costuma estar bem preenchido, é alguém que acusa pouco a pressão. De cariz mais defensivo, tem na baliza a sua zona de conforto e responde por lá aos estímulos que lhe são colocados no jogo.

 

Foto: União Desportiva de Leiria

Valerio Vimercati – União Leiria (que irá jogar vs Lourosa)

Não começou a época no clube, chegando pouco depois do mercado de Inverno, proveniente do Fátima onde brilhava há mais de um par de anos no mesmo campeonato/série. Talvez essas exibições o tenham catapultado para as observações do União de Leiria que, tal como na época passada, contratou antes do playoff um guardião… no caso, Mika.

O até então titular era Wilson, que vinha sebdo o titularíssimo da equipa… até Valerio chegar. Até mesmo Mika, agora número 2 no Belenenses SAD (1a liga), fez apenas 2 jogos no clube de Leiria. E agora Valerio pegou de destaque na equipa e será ele a entrar no playoff como titular.

A maior curiosidade é que já passou por vários clubes italianos como o AC Milan, Torino ou Spezia ao longo da sua formação. Com 1.80m e 24 anos de idade, é um guardião de morfologia muito leve, ágil e rápida. Tenta compensar a falta de altura comparando com a média dos guardiões no campeonato com a sua rapidez de movimento dentro da baliza e além da mesma, tal como a atitude proactiva perante o jogo. Porque a equipa assim o exige, tem tentado conhecer mais do jogo e melhorado a capacidade de saída desde si com os pés (tem o pé esquerdo como preferencial) em organização e funcionar como um elemento mais activo na área e fora de mesma, seja com ele oferecendo coberturas ofensivas para jogar com os pés ou em alívio/corte fora da área, numa vertente mais defensiva.

Enérgico, activo, versátil, móvel, reactivo e cada vez mais proactivo. Em jogos a eliminar pode-se agigantar, sendo esta fase apenas um mês e meio… se estiver com bom foco, pode ser um elemento que passe mensagens negativas ao adversário e o desespere. Porque tem mesmo essa capacidade de fazer defesas que, na parte mais científica do treino de guarda-redes na base técnica, seriam reprovadas, mas que na realidade em contextos fechados e de menor espaço temporal (como eliminatórias) podem ser eficazes. Tem vivido um bom momento recentemente a nível individual e colectivo com a equipa e entra neste playoff com poucos golos sofridos e com uma boa dinâmica de vitória. Não sofre golos, por exemplo, há 4 partidas.

Parte do sucesso da equipa está em ter um Valerio confiante, focado e inspirado, pronto a socorrer qualquer problema. Precisa de melhorar em tomada de decisão, principalmente no espaço fora da área e no 1×1 – quando deve ficar ou ir perante o adversário para encurtar tempo e ângulo de remate, tal como no gesto técnico de defesa – e no jogo aéreo onde sente dificuldades pela sua menor estatura. Daí que muitas vezes, nesta última parte, se defenda ficando na baliza para reagir. Mas é um guardião desconcertante para o adversário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Rafael Marques – Casa Pia 

Com 1.87m e 29 anos de idade, Rafael Marques apresenta-se como sendo um guarda-redes defensivo, com um perfil de guardião de reacção, e já conta com alguns anos de Campeonato Portugal no currículo e até jogos na 2a liga. Os seus pontos fortes são a defesa da baliza e o 1×1, para além de ter sido decisivo durante esta época no que toca na defesa de pênaltis. Em termos físicos é um guarda-redes que apresenta uma boa capacidade de tempo de reacção, sendo concordante com todo o seu perfil já mencionado. Na defesa de baliza, é de acções simples, ponderadas, seguras e eficazes, transmite segurança “mental” à equipa pela sua calma com que executa. É um apaziguador na forma como age e não um acelerador/desequilibrador.

Ao longo da época apresentou melhorias significativas no que diz respeito às suas acções ofensivas, tanto nos espaços a ocupar, como nas acções/movimentos a tomar. Joga com o pé direito e tem uma batida longa, procurando quando necessário as costas da defesa adversária. Por vezes, os seus posicionamentos iniciais perante a bola descoberta, fazem com que seja “tentador” – e já aconteceu várias vezes ao longo da época tais tentativas – que se tente remates altos de longe para aproveitar esse tal adiantamento, dando a sensação que não age/reage de forma diferente mediante uma bola coberta ou descoberta.

Procura jogar com o seu posicionamento e agir nesse espaço procurado, sempre com o corpo relativamente alto e estável. Apesar disso, tem algumas dificuldades em movimentos laterais/verticais, sendo esse um aspecto físico que tem melhorado ao longo da época. Chega preparado para este playoff. A sua capacidade em defesa de penaltis, já comprovada esta temporada, pode ser útil numa eliminatória como estas. É uma arma que o distingue dos demais e pode fazer a sua equipa estar mais perto da passagem, caso existam desempates por penaltis ao longo da competição.

Victor Braga (BRA)Victor Braga – Espinho (vs Casa Pia)

Com experiência de primeira liga, é talvez o guardião com mais perfil profissional desta fase. Com 1.93m e 27 anos de idade, tem muita experiência já de 1a e 2a liga portuguesa, entre Moreirense, Famalicão por exemplo. Tem uma das melhores defesas nos campeonatos profissionais (ou semi) em Portugal… 20 golos sofridos em 34 jogos.

É ágil, enérgico, desafiante e imponente. Comunica muito e expõe-se de igual forma em campo, tentando ocupar muitas zonas da área e ser um activo proactivo na acção da equipa. Inserido numa equipa que joga com a defesa alta, é muitas vezes exposto a passes na profundidade, tendo os fundamentos empíricos de onde, quando, como se deve sair para evitar males maiores. E fá-lo com qualidade.

Ele sabe que a sua missão é evitar golos mas tenta estar dentro do jogo de outras formas, seja a comunicar, festejar uma defesa ou algo idêntico, puxando a si elementos externos às simples funções de defender de um GR. E é enérgico na forma como o faz, daqueles que não tem “sono” em campo. Esta tal energia pode, apesar disso, ser prejudicial no seu jogo quando a confiança cresce e se torna displicência. Apesar de estar mais maduro hoje, ainda é bastante impetuoso na forma de abordar o jogo. A sua experiência profissional e qualidade dentro e fora dos postes, tal como a forma atlética como se dá ao jogo – mesmo que ao nível da tomada de decisão ainda não seja a mais linear e coerente – faz com que seja alguém que seja difícil de ultrapassar se for menosprezado.Seja pelo perfil ou versatilidade do seu jogo, pois é alguém alto e com uma velocidade e agilidade acima da média na execução das suas acções. Bastante explosivo nestas até…

Com pé direito como preferencial, tem uma batida forte e precisa. Facilmente obriga à defesa contrária a recuar dois passos na profundidade. Normalmente não sai curto em pontapé de baliza e a sua equipa está bem preparado no meio campo contrário para responder nas alturas e na segunda bola…

A parte 2, com os restantes 4 guardiões, será apresentada em poucas horas…

 

Facebook Comments