A táctica é simples e Dmitrovic aprendeu com Pyatov: Esperar, reagir e ganhar confiança

A Sérvia, já depois da Ucrânia o ter feito há dias em Portugal, empatou contra os portugueses esta noite na 2a jornada da Qualificação para o Euro 2020. 1-1 foi o resultado final e o jogo parecia a papel químico do seu antecessor – talvez por culpa do golo marcado muito cedo – na dinâmica defensiva mas com uns laivos de genialidade de Tadic ou imposição atlética de Mitrovic.

Bloco baixo e altamente exigente para guardiões que iriam ter muitos remates contra, muita oposição na área a colocar entraves na visualização das jogadas e remates e cruzamentos de vários locais. A acção virou reacção e de alta exigência física e mental. E Dmitrovic sente-se muito confortável nesse papel.

O jogo começou a correr-lhe de feição, claro. Ajuda ter a 1a acção/defesa com sucesso. A partir daí foi continuar a fazer o que mais sabe: posicionar, fixar, esperar, reagir. Com o passar do tempo e muitos segundos “congelados” por si… foi aumentando o seu raio de acção, começando a sair a cruzamentos também, num momento em que Portugal já estava a lateralizar e cruzar muitas vezes para as referências centrais do ataque.

E, referir, que apenas sofreu um golaço de bem longe. Tudo o que parecia menos impossível… foi parando.

Ficam as defesas que foram parando e desesperando os portugueses… tal como Pyatov já tinha feito no final da semana passada (ver aqui)

Facebook Comments