“Olhem, os gigantes também falham!” – O desastre europeu de dois dos melhores

Nem sempre podemos ter sucessos. E estes senhores, se estão a ter este protagonismo e se nos deixam chocados quando falham… é porque já acertaram muitas vezes e isto não é normal. A viverem momentos diferentes, até pela dinâmica colectiva, Courtois e Buffon estão ligados a golos sofridos… no caso do italiano foi mais decisivo para o correr da eliminatória.

Um foi um erro de percepção, hesitação e descuido na análise da trajectória da bola… o outro foi um erro mais “clamoroso” à vista desarmada num problema no bloqueio numa bola com efeito quando ainda estava em movimento. Falamos de Courtois e Buffon respectivamente.

O golo sofrido de Buffon, o 2o (de 3) contra o Manchester United:

A retirar profundidade, defendendo perto da linha de golo, movimenta-se em direcção a uma bola de efeito duvidoso e forte, quando procura o movimento de bloqueio… ainda está com o corpo a deslocar-se para o lado, sem ter fixado a posição. Torna mais difícil ajustar o corpo à trajectória da bola nestes casos e mais complicado se torna fazer uma recepção com os antebraços e apoiado no peito, quando o seu corpo não está totalmente à frente da bola…

O golo sofrido por Courtois (o 4o de 4 sofridos no jogo) contra o Ajax:

“O passo em falso” à frente, da hesitação à indefinição… até à insegurança.

Courtois deu um passo em frente quando a bola estava no ar, em trajectória alta, e fixou após esse avanço. Daí atirou-se logo para a bola e, mesmo tendo quase dois metros de altura, não deu para compensar esse erro de análise. Após fixar, fazer um movimento à retaguarda é sempre mais difícil…

 

Facebook Comments