A importância de saber estar e como estar. Iker Casillas, em Roma

Mais do que aquela defesa vistosa, em grande voo com uma mão, mais do que aquele gesto técnico no 1×1 perfeito… um guardião precisa de saber estar e de como estar. E isso, é meio passo para o sucesso, e são daqueles parâmetros pouco apreciados a olho nu. Porque é algo não tangível como uma defesa incrível, mas é isso que ajuda ao sucesso. E isso é Iker Casillas.

Hoje Iker sabe o que vale e o que não vale. Não inventa nas suas fragilidades e tenta potenciar ao máximo as suas valências. E a mensagem corporal que passa à sua equipa é incrivelmente positiva. De alguém que sabe quase tudo do jogo e que, em cada movimento, mostra isso. Não se expõe ao erro (fugindo mesmo dele) e não deixa que o exponham a tal. E isso é um feito digno dos maiores, daqueles que já viveram tudo no futebol. Iker está nessa fase.

Ou seja, mais que aquelas defesas épicas que deixou escritas no passado, é um guardião cada vez mais inteligente nos seus movimentos e espaços a ocupar, sabendo sempre o que tem de fazer, como fazer e onde fazer. E prova disso mesmo foi o jogo europeu de hoje em Roma. Saiu derrotado, é certo. Mas impediu males maiores pela sua forma de ser, ao dia de hoje, em campo. E ele parece que leva sempre com a bola “à figura” como gostam de dizer. Pois bem, isso é de quem sabe estar e onde estar. O resto… é resto. É uma consequência ou reacção dessa acção inicial bem definida e executada.

Ora vejam os seus momentos hoje e que podem constatar isto mesmo:

Facebook Comments