Os guardiões portugueses nos Mundiais: 2006, Ricardo Pereira

Corria o ano de 2006, quando a poderosa Alemanha recebia o Mundial com “tudo o que tinha direito uma boa organização”, com a maior das expectativas: vencer. E fizeram de tudo para que isso acontecesse… e o destino de Portugal embateu na equipa da casa. Já lá vamos.

Portugal vinha de um Europeu 2004, no seu país, de (quase) sonho. Perdeu na final contra a Grécia. Mas vamos esquecer isto… e nesta competição já estava Ricardo Pereira, que foi o titular no Mundial seguinte (este que referimos). Na altura muito contestado por ocupar a vaga de Vítor Baía que tinha sido campeão europeu pelo FC Porto nesse ano. Mas manteve a confiança de Scolari, principalmente pelo Euro 2004 onde foi mais herói que vilão.

Chegados à Alemanha, na baliza estiveram: Ricardo (Sporting), Quim (Benfica) e Paulo Santos (Braga). Mas foi o primeiro o indiscutível, do primeiro jogo inaugural contra Angola… até ao jogo do 3o e 4o lugar contra a Alemanha.  Eis o quadro total de jogos:

zerozero.pt

Onde Ricardo teve maior impacto, e mediatismo, foi pela segunda (2º!) vez seguida, em competições internacionais, a ajudar a bater a Inglaterra no desempate por penaltis. E, ironicamente, foi eliminado pela França na meia final com… um penalty de Zidane.

Eis as imagens desse desempate nos penaltis:

Foi a 2a melhor competição de sempre por parte de Portugal num Mundial, com um 4o lugar conquistado após derrota contra a Alemanha. Mas de recordar, um percurso muito complicado desta “geração de ouro” portuguesa, que deixou o planeta chocado com tanto talento e por terem alcançado patamares altíssimos.

Numa competição que, até à meia final, Portugal apenas tinha sofrido 1(!) golo, e foi na fase de grupos, e após isso a partir das meias finais sofreu os restantes 4 golos. Grande grupo, grande campeonato!

  • Gonçalo Xavier, A Última Barreira
Facebook Comments