Parte do jogo mas sem precisar de jogar muito curto. Um outro exemplo de guardião integrado.

É muito associado em gíria desportiva que para haver um guardião integrado no modelo de jogo é preciso ele jogar curto. Estar ligado ao jogo desde trás em posse. Mas se ele bombear, num processo altamente coordenado e treinado, para o seu avançado que está à espera desse momento para ganhar a bola de cabeça e passar-se da defesa para o ataque em pouquíssimos segundos, deixa de ser um processo sem o guardião estar integrado? Não. A resposta é não, mas neste processo parece que é tudo deixado ao acaso e que é só algo que vemos sucessivamente em divisões mais baixas. Já dizia o povo “Bola para o mato que é jogo do campeonato” e essa ideia estereotipa, por vezes, de forma errada o processo de futebol directo. Esse também tem cuidados em treino apesar de ser mais imprevisível que um futebol apoiado curto desde trás.

Três exemplos crassos disto são Kasper Schmeichel (Leicester quando foi campeão inglês), De Gea (com as referências de Lukaku esta época e Ibra – na época passada) e Ederson Moraes (no Benfica e também recentemente no Manchester City). As intenções, por vezes, eram claras: esticar o jogo ao máximo para o seu avançado que dava a profundidade possível, e ir da defesa para o ataque em poucos instantes. Aliviar a pressão e obrigar o adversário a recuar ou não jogar tão subido sob pena de ver uma bola longa a cair nas suas costas. E por precaução, era obrigado a descer. E isso… é estudado e envolve de forma directa o guarda-redes na percepção do jogo para colocar a bola no melhor sítio possível para ter uma lógica de seguimento e também ao nível técnico pela exigência de ter que cair exactamente para aquele local onde o seu avançado levanta o braço para receber a bola. E isto também é um guarda-redes integrado, mas num patamar diferente do habitual.

Apesar de possuirem qualidade curta e média na distribuição, conseguem contribuir em força e colocação em diferentes variantes no passe.

Ederson Moraes:

Ederson Reposições 👌

Uma aula… de reposições de Ederson Moraes 👌No último ano já fez estes passes incríveis pelo Benfica, Manchester City e Brasil… Para ver e rever. 👀Partilhem e sigam: The UB e UB.tv

Publicado por The UB em Domingo, 22 de Outubro de 2017

De Gea:

A referência em Lukaku para o passo longo directo, em pontapé de baliza ou bola corrida. O avançado belga do Man United define o espaço que quer o passe, e o espanhol define para esse local. Um exemplo disso: jogo para a Champions há poucos semanas em Sevilha, como mostram as seguintes imagens. Perfeitamente alinhado com a ideia de futebol também directo do Manchester United:

 

Exemplos diferentes de um guardião integrado. Jogar longo em jogadas previamente definidas, também é um exemplo disso mesmo. E logo, estes dois exemplos, dos guardiões titulares dos dois primeiros classificados da Premier League, os rivais de Manchester.
– Gonçalo Xavier, A Última Barreira
Facebook Comments