Gerir expectativas e rendimento com guardiões de renome.

Eis o exemplo do Standard Liège 17/18

Não é fácil gerir homens. Não é fácil gerir expectativas. Não é fácil gerir isto tudo num clube com exigência ao mais alto nível profissional. E há formas de o fazer… com a capacidade certa em várias vertentes como a humana, técnica e psicológica e tudo em conjunto. E talvez nada melhor que um treinador de guarda-redes… que tem formação na psicologia.

O Standard Liège, esta época, contava com dois guardiões de alta qualidade e experiência nacional e internacional. Gillet, de 38 anos, internacional belga e até esta época indiscutível no clube (onde fez formação mas partiu cedo para Itália) e Ochoa, largamente admirado por muitos amantes da posição de guarda-redes e com uma história, principalmente ao nível das selecções, que fala por si (são 91 jogos pelo México e sempre convocado/titular nas maiores competições em que participa o México, como o Mundial e Copa América). Foi a contratação de renome do clube e tudo previa que fosse indiscutível… mas a gestão dos guarda-reds tirou o melhor dos dois principais e ajudou Boudart, jovem da formação, a aprender e crescer na sombra e nas competições jovens.

Quem geriu estes homens foi o mister Ricardo Pereira. É verdade, um português. E que tem nesta etapa o seu maior desafio na carreira ao nível profissional, pela exigência do clube e qualidade dos intervenientes nas balizas. Incutir à competição, ao espírito de grupo, à família numa melhoria contínua, como diz a seguinte citação do mesmo:

Deixar o protagonismo para eles sempre!!!! Provocar, estimular relação, gerar e gerir concorrência e conflitos, fazê-los acreditar que depois dos 30 ainda estão aquém do limite, ganhar a sua confiança e…”sair de cena”. Deixá-los jogar e ajudar!!! Desafio vs Tranquilidade!!! Jean-François Gillet e Guillermo Ochoa. 2 Senhores do Futebol. 2 concorrentes por um lugar. 2 amigos!!! (Ricardo Pereira)

A intenção de os levar além, fora da rotina, de se excederem e aprenderem mutuamente… estava toda lá. Além de uma grande gestão individual dos guarda-redes, com diferentes expectativas e abordagens, os títulos já chegaram. A Taça da Bélgica foi conquistada, passando em várias eliminatórias contra “gigantes” como o Anderlecht, Club Brugge, Genk, por exemplo. Tudo equipas de topo. E quem jogou em todas as eliminatórias? Gillet… e sempre com um nível de rendimento superlativo. Não é fácil estar na sombra de Ochoa e corresponder sempre que chamado. É preciso muito trabalho mental, principalmente com um guardião tão experiente. E os resultados superaram todas as expectativas no rendimento individual como no colectivo.

E Ochoa? Esse é titular na liga e o Liège conseguiu o objectivo de chegar ao playoff de campeão, feito conseguido na última jornada. E numa equipa bastante ofensiva, com a evolução do campeonato, foi muito exposto e foi correspondendo e até evoluindo algumas capacidades, principalmente fora da baliza.

Os objectivos individuais e colectivos estão a ser concretizados nos guarda-redes. E tem muita mão no “pai” deles, Ricardo Pereira.

Vejam parte do seu trabalho: ver aqui

 

 

Facebook Comments