A noite europeia em que Buffon não foi Buffon… mas que deu a entender que seria! (vs Tottenham – 2×2)

1º Momento:

A tal defesa que deu a entender que podia ser mais uma noite gloriosa de Gigi Buffon.

Orientação dos apoios em função da bola e sempre de forma perfeita, tanto no primeiro momento do cruzamento – Imagem 1 –  como do remate seguinte. Reajuste fantástico após o cruzamento dos apoios que passaram a ser orientados centralmente em direcção de Harry Kane (a cabecear) – Imagem 2. A defesa da bola deu-se muito por este motivo e também pelo corpo “alto que só descaiu em função da bola após remate. Grande execução.

Imagem 1 – Apoios orientados de Buffon em relação ao cruzamento

Imagem 2 – Orientação dos apoios para o avançado contrário

2º Momento:

O primeiro golo do Tottenham por Harry Kane.

Em traços rápidos: Quando o homem contrário, no 1×1, tem a bola controlada após passe na profundidade, o guardião deve esperar pelo avançado e proteger a baliza. Quando não possui a bola controlada, deve antecipar rapidamente se tiver hipóteses de a alcançar em primeiro lugar.

Imagem 3 – Corrida sem fixar apoios quando a bola foi dominada pelo avançado e facilmente ultrapassado.

Neste momento, após má leitura do lance pois o passe não foi tão forte e profundo como talvez esperasse, Buffon teria que parar a sua corrida e esperar pela bola dominada por Kane. Ao não parar de correr e estando a bola praticamente controlada por Kane, foi só desviar para o lado que o corpo de Buffon não conseguiria reagir a essa situação por estar em movimento de corrida rápida e por não estar fixo.

Outra interpretação possível fosse de retirar o espaço de remate a Kane o mais rápido possível (puxando a bola para o pior pé) tentando criar desconforto no avançado inglês e conseguir existir a dobra da defesa italiana à saída do guardião. Também é uma hipótese… mais rebuscada.

3º Momento:

O golo de livre directo da forma mais “na moda” possível… pelo lado do guardião.

Imagem 4 – Passo para o lado da barreira e corpo desequilibrado após remate

O passo ao lado, em jeito de adivinhação, para o lado da barreira que está tão em voga e ser esta a maior razão do número de golos do “lado do guardião” ter aumentado. Tudo o resto foi consequência desta adivinhação (corpo desequilibrado, desajuste nos apoios, o passo para o voo…)

Eis o video dos três lances:

 

 

Em suma, uma noite que prometia gloriosa para Buffon e que se tornou negra em assuntos tão debatidos na actualidade das balizas como a bola no espaço e livres defensivos… um dia mau apenas. E uma lição para os mais jovens verem que até os melhores falham…

  • Gonçalo Xavier, A Última Barreira
Facebook Comments