Artigo de Opinião

Projecto 1 guarda-redes futsal

Na minha opinião, a criação deste projecto é uma boa iniciativa mas peca por ser um pouco tardia.

Digo isto pois durante vários anos, tivemos uma grande referência na nossa baliza e que é o atual mentor deste projecto. Um GRANDE guarda-redes chamado João Benedito, que foi provavelmente na minha opinião o melhor guarda-redes português de sempre. Na sua sombra existiram grandes guarda-redes, que foram alternando nas convocatórias para os vários compromissos da seleção que foram: Alex ( retirado) , Silvio ( atualmente ainda joga ) Sandro Barradas ( atualmente ainda joga ) Toni ( retirado ) Vitor Hugo ( atualmente joga ) e os que mais acompanharam o João ao longo destes anos Bebé e Cristiano.

Todos estes guarda-redes tem alguns factores em comum que são : guarda-redes de qualidade reconhecida, experiência de primeira divisão e de competições internacionais por clubes e seleções e todos com idade igual ou superior a 34 anos.

O problema que se encontra desde que o João se retirou do futsal foi primeiro uma referencia na posição, a semelhança dos jogadores que tem Ricardinho como grande referencia na modalidade  e o outro foi falta de ‘soluções’ para a baliza portuguesa e para os clubes chamados Top, onde nos últimos anos teve grande influencia de guarda-redes estrangeiros ( muitos acrescentaram grande qualidade a liga ) como Juanjo, Marcão, Christian ou Iago .

Na minha opinião a criação deste projeto acontece pois a federação percebeu que esta grande geração de guarda-redes caminha para o fim das suas carreiras ( alguns já retirados ) e que a geração que os antecedia não teve o acréscimo de qualidade esperado por eles ( na maioria dos casos por falta de oportunidades )  .

Atualmente nenhum dos guarda-redes da nova geração tem uma regularidade de jogos e de exibições que passem confiança ao selecionar para apostar neles de forma mais regular. Penso que essa aposta surgirá como uma necessidade pois infelizmente para todos nós Vitor Hugo Bebé e João Benedito não duram para sempre.

Os ALARMES soaram um pouco tarde mas se se começar desde já a trabalhar para a formação e a criação do guarda-redes português acredito que o futuro possa ser risonho, pois hoje em dia os quadros competitivos são melhores já existem mais seleções jovens e algo que não se via há uns anos atrás ja existem pessoas que se dedicam nos clubes exclusivamente ao treino de guarda-redes ( será tema de um futuro artigo ) assim sendo o futuro é risonho mas será importante ter se paciência com os futuros guarda-redes da seleção no pós Vitor Hugo e Bebé.

Será importante ter paciência no processo de evolução da próxima geração para que não se volte a verificar casos semelhantes aos de Carlos Paulo , Hélder Fernandes, Tasaka, Cláudio Martins, Sandro e Pinto. Todos guarda-redes de grande potencial e qualidade reconhecida que com o passar dos anos nunca tiveram a regularidade esperada tanto nos clubes como em alguns dos casos em chamadas para representar a seleção nacional e acabaram por não ser opções para representar Portugal .( embora todos tenham ainda idade e qualidade para o poder vir a fazer )

Depois desta geração que foi ‘desperdiçada’ temos uma nova vaga de guarda-redes com potencial para representar Portugal que são : Cristiano ( SLB ), Gonçalo ( SCP), André Sousa (SCP), Vasco ( SCB), Xot ( SCB),  Rui Pedro ( MDC) João ( BUR) e Paulo (QTL).

Em baixo deixo vos umas tabelas com idades e número de jogos realizados na primeira divisão entre as três gerações :

Artigo: Luís Miguel Ribeiro, treinador de GR futsal

Facebook Comments