Não há culpas isoladas e toda a defesa do Boavista após a mexida de Jorge Simão em colocar Idris na defesa para procurar o golo – e já admitido como erro pelo treinador – não esteve bem. Mas Vagner, neste lance em concreto (do segundo golo), merece um apontamento.

Perante um contra-ataque vertiginoso dos “dragões”, Vagner fez o recuo para a baliza quando percebeu que a bola não ia para o espaço mas sim para o pé do avançado Marega. Até aí tudo bem, é correcto. O problema está que fez o recuo… para um dos postes, abrindo o outro por completo, onde entraria a bola do avançado maliano. Perante tal desposicionamento, Marega agradeceu e colocou na parte da baliza aberta e o guardião brasileiro não teve qualquer reacção, como seria normal pois o erro já tinha sido cometido e era difícil compensar.

 

Uma das maiores dificuldades no recuo perante um contra-ataque, é manter a bissectriz entre a bola e a baliza correcta, à medida que se acompanha o lance e o que pode dar. E foi esse o problema de Vagner neste lance que não soube manter a bissectriz e deu a hipótese de Marega chutar para o lado da baliza aberto.

Outro pormenor, voltando à questão da bissectriz: No momento antes do passe de Corona (à direita na imagem), para Marega, Vagner está bem posicionado neste pormenor da bissectriz. O problema é que a bola a mudar de flanco, da direita para o meio, ele não se ajustou à mesma variação e permaneceu no posicionamento ideal… se permanecesse no lado direito.

Não é isto que mancha a excelente temporada que Vagner está a fazer ao serviço do Boavista esta época… mas são pormenores destes que merecem análise para todos melhorarem e perceberem a razão das coisas e a sua explicação.

 

Facebook Comments