(Artigo Original – Futebol Apoiado – http://futebolapoiado.blogspot.pt/2017/03/podemos-falar-numa-identidade-para-o.html)

Um tema que me tem intrigado é este sobre a existência (ou não) de uma identidade ou de um estilo para o Guarda-Redes português. É importante começar por referir que, se falamos de uma identidade, estamos obrigatoriamente a falar da Formação do Guarda-Redes e, por sua vez, do seu treino. Ou seja, questão torna-se mais abrangente, visto que para haver uma identidade temos de enumerar outros “valores” nesta equação: os Treinadores e a Federação Portuguesa de Futebol. Que, em abono da verdade, são os responsáveis pela Formação dos Guarda-Redes em Portugal.

Actualmente ouvimos falar da Escola Brasileira, com o seu estilo muito próprio, um treino muito técnico, mas ao mesmo tempo muito físico e isso tem influência na Formação do Guarda-Redes brasileiro. Estas particularidades também podem ser encontradas em muitos outros países, mas vou-me cingir aos que melhor conheço: a Escola Espanhola (velocidade e explosão), a Escola Italiana (muito técnica e sempre na vanguarda) e a Escola Alemã (pela excelência técnica, mas também pela simplicidade de processos). Tudo isto leva-me à seguinte pergunta: então e em Portugal?

A meu ver somos uma panóplia de escolas e de influências trazidas por Treinadores estrangeiros e colhidas por Treinadores portugueses, tanto cá como no estrangeiro. Sempre andámos um bocadinho atrás nestes patamares de conhecimento, mas penso que esta questão já não se coloca tanto nos dias de hoje. Se a escola de Formação de Guarda-Redes em Portugal é realmente um conjunto de influências…o que temos a ganhar com isso?

Na minha opinião temos muito a ganhar, uma vez que acabamos por poder retirar o melhor de cada escola e adaptar à nossa realidade, construindo assim uma identidade nossa para um Guarda-Redes mais forte e mais evoluído.

Neste momento acho difícil definir uma identidade para o Guarda-Redes português ou para a escola de Formação de Guarda-Redes em Portugal. Por isso mesmo abro o texto à vossa leitura e às vossas opiniões: existe uma identidade do Guarda-Redes português? Que tipo de identidade? Como definimos a Formação do Guarda-Redes em Portugal?

Miguel Menezes

Facebook Comments