Jackson Follmann foi um dos sobreviventes do desastre aéreo que tirou a vida a praticamente toda a equipa da Chapecoense.

O ex-guardião ficou com uma perna amputada e tem recuperado desde então os restantes movimentos da outra perna. Nestes dias teve oportunidade de visitar o centro de treinos dos atletas paralímpicos do Brasil e ficou com vontade de ser um dos mesmos.

Citando a Globo:

Para mim, foi muito bom, um momento ímpar. Vai ser um dia que vou levar para o resto da vida porque pude conhecer pessoas de muitas modalidades e fiquei muito feliz. Fico contente de ver que a limitação das pessoas está só na cabeça delas. Todos conseguem fazer mais do que faziam antes das suas deficiências. Isso me deixa com mais gana de me recuperar logo e poder fazer inúmeras coisas. É um dia que foi e será inesquecível para mim – disse Follmann, em entrevista ao Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

Um elemento da comissão paralímpica disse mesmo que tendo em conta o histórico de atleta, o perfil psicológico e as capacidades físicas, que Follmann poderá ser no futuro uma grande adição ao comité paralímpico e que teve imenso orgulho de o ver a recuperar e com uma vontade inexcedível de viver.

Facebook Comments