Numa promoção recente da UEFA, sobre a carreira de Ederson no Benfica no último ano e meio, o guardião brasileiro confessou que o treino é tão específico que até se estudo as grandes penalidades e quem as bate. E não é que começa a fazer sentido?

Hoje no Benfica 1-0 Dortmund para a Liga dos Campeões, o guardião brasileiro defendeu uma grande penalidade de Aubameyang. Mas será ele um especialista? Não. E sem confiança na partida? Pior ainda…

Avancemos por esta última questão. Fizemos uma pesquisa rápida sobre o destino das grandes penalidades do “craque” do Dortmund e chegamos a uma conclusão: Tenta arriscar o mínimo possível e… espera que o guarda-redes adivinhe o lance. Ora… Ederson percebeu o contexto do avançado (teve um dia mau a nível de finalização, onde foi raro o remate enquadrado na baliza) e também adensou a situação ao esperar até ao limite (momento do remate) para tomar uma decisão. E neste caso, tendo em conta o contexto e o conhecimento de “Auba” escolheu permanecer no meio. Decisão arriscada… mas bem pensada.

Na temática de arriscar pouco no momento de penalty: a maioria dos penaltis que observamos (repetimos, numa pesquisa rápida mas com uma amostragem considerável) do avançado do Gabão, são para o meio ou para as zonas imediatamente à volta. Não arrisca muitas vezes colocar o remate e quando o faz, percebe-se logo no momento em que corre para a bola. A velocidade da sua corrida (onde tenta imprimir intensidade e inclinando para um dos lados o seu corpo, muitas vezes desiquilibrando-se) dá logo a entender que irá colocar mais a bola em força e que já tem o local previamente pensado. Quando abranda a corrida, o penalti é mais de improviso e à espera do movimento do guardião. Mas é um jogador que depende muito do seu estado de espírito no momento para marcar grandes penalidades. Deixa-se influenciar (no bom e mau momento) pelas situações e age mediante as mesmas. E hoje, foi um misto (velocidade no arranque e abrandamento mais perto da bola e Ederson não se mexeu em qualquer momento. Além disto o guardião fez um movimento para a sua direita quando ainda Auba olhava para a baliza e caminhava para a bola, ou seja, viu este movimento e tentou em força colocar para o lado contrário. Mas o corpo nesta altura já estava desequilibrado). Esta incoerência no seu movimento, tendo em conta o padrão, mostra o quanto estava desconfortável com a situação e queria arriscar o menos possível.

Apesar disto tudo, da interpretação dos seus penaltis e do contexto, e não retirando o mérito a Ederson por perceber tudo, Auba foi displicente no momento de bater o penalti. Talvez pela falta de confiança na partida, por não estar assertivo, mas não foi bem batida a grande penalidade. Ederson apenas aproveitou (bem) a situação. E o estudo ajudou, tal como a interpretação empírica da análise do jogo “in loco”.

Podem ver aqui parte da exibição e, inclusivamente, o penalti defendido:

Ederson vs Dortmund

A exibição perfeita de Ederson Moraes vs Borussia Dortmund. 😱😱Que partida do guardião brasileiro! Defendeu uma grande penalidade e fez mais algumas defesas de alto nível para manter a baliza inviolada na vitória encarnada… que incrível! 🔥Partilhem e sigam: The UB

Publicado por The UB em Terça-feira, 14 de Fevereiro de 2017

Por Gonçalo Xavier – A Última Barreira

 

 

Facebook Comments