O guardião do Audax (Brasil) no final de uma partida teve um jornalista a fazer-lhe uma “flash-interview”.

Foi questionado a razão de arriscar tanto com os pés em progressão ou passe. E o guardião respondeu “Tocar a bola é perigoso? Nós treinamos isso. Vamos jogando assim desde o início da competição…”

Uma reflexão que tem de ser feita para os jornalistas e analistas, que há razões (e que é treinado) para o guarda-redes ter a bola nos pés e pensar também ele o jogo. Nada é feito por improviso. E o guardião respondeu de forma ideal a um “estereótipo” que está incutido na cultura do futebol. Se é treinado, não há nada perigoso porque pode-se controlar os riscos. O treino serve para isso… habituação, coordenação e confiança no processo.

Podem ouvir aqui:

https://www.facebook.com/OusadiaGoleiro2/videos/1219522371498477/

Facebook Comments