A ver o Hoffenheim 2-2 Dortmund, que se disputou esta noite na Alemanha, muito se pode concluir do lance que dá o segundo golo da equipa visitante. Eis o momento (vejam a partir do contra-ataque após o Hoffenheim atirar a bola ao poste):

1ºMomento: Profundidade

O passe é colocado na profundidade, entre dois defesas centrais, sendo o homem do Dortmund que recebeu a bola o último jogador da sua equipa na frente atacante. O jogador em questão, já se sabe, é bastante rápido (Aubameyang) e sabe explorar a profundidade. Sabendo isso o defesa, acompanha-o na medida do possível (tendo em conta a diferença de velocidades) e consegue “apanhar” o avançado. O guardião do Hoffenheim, Baumann, vê o passe a entrar entre os defesas e tenta retirar o máximo possível o espaço de manobra ao avançado.

2ºMomento:  Hesitação e apoios fixos

Quando Baumann percebe que não consegue chegar ao lance de forma a antecipar-se, fixa os apoios. E fá-lo de forma abrupta e bastante longe da baliza. Foi um erro sair-se tanto. Devia sair um pouco para cobrir mais ângulo sim, mas bastava ficar pela zona da pequena área porque o avançado tinha marcação do defesa.

Usou um apoio só para travar fazendo toda a força nele, devia ter travado com 2 ou 3 passos mais pequenos. Iria demorar mais, mas ficava numa posição estável para depois mudar de direcção (lateral) perante o movimento do avançado.  Quando o avançado recepciona de forma orientada a bola, em movimento, já o guardião está desequilibrado, não conseguindo reagir de forma eficaz.

Momento em que fixa os apoios

Artigo feito por Eduardo Cachulo (Treinador GR formação da Naval) e Gonçalo Xavier – A Última Barreira

Facebook Comments