“As frases que inspiram, os pensamentos que elevam, os silêncios que dizem milhares de palavras. Eu sempre preferi as mãos.

As mãos que fazem.

As mãos que ajudam.

As mãos que estão sujas.

Com as tuas mãos de bebé que procuram os seis da tua mãe. Com as mãos que os pais atam os sapatos dos filhos.

Como criança, eu procurava as mãos dos meus pais e lembro-me do trabalho, do carinho e do sacrifício. Hoje eu olho para as minhas mãos e eu consigo olhar para dentro de todos os meus sonhos e aqueles que não cumpri.

Com as mãos que tu abraças os que amas. Com as mãos que te ajudam a levantar depois de caíres. Com as tuas mãos que cavam no chão sujo depois de um terramoto. Com as minhas mãos que pedem ajuda.

Eu já vi apertarem as mãos por prazer, mãos que rezam e outras que rejeitam.

Com estas mãos, as minhas, eu lutei e me tornei grande. Eu venci e perdi. Eu passei os limites e desafiei-me perante o impossível. Eu cobri os medos. Eu puxei por aqueles que não tinham a coragem de saltar. Eu tentei que as pessoas conseguissem ter a vontade de ir.

Estas minhas mãos.

O que eu deixo hoje aqui, não é uma fotocópia dos meus 10 dedos das mãos mas uma assinatura de quem eu sou, o que fiz e o que ainda vou fazer. Estou honrado e orgulhoso. Excitado e orgulhoso. Eu queria abraçar-vos a todos, com estas mãos… as minhas mãos. “

  • Tradução A Última Barreira

Alle frasi che ispirano, ai pensieri che elevano, ai silenzi che dicono più di mille parole, io ho sempre preferito le…

Publicado por Gianluigi Buffon em Terça-feira, 11 de Outubro de 2016

 

Facebook Comments