O seu nome é Paulo Fortunato Viola e é treinador de guarda-redes tanto de futebol de praia como de futebol de 11, ao longo da sua carreira como treinador já representou clubes de futebol como Os Belenenses SAD no escalão de sub-19, o Odivelas SAD, entre outros,  a nível dos areais já treinou a seleção nacional de futebol de praia do Azerbaijão e mais recentemente a Casa do Benfica de Loures, decidimos por isso entrevistá-lo para saber mais sobre o treinador de guarda-redes e o profissional que é.

 

Frederico Hilário: Olá Paulo e obrigado por concederes esta entrevista. Gostaríamos de começar por saber qual o teu percurso como guarda-redes? E como treinador de guarda-redes?

Paulo Viola: Obrigado é uma honra poder estar aqui a falar para a Última Barreira. Ora bem eu comecei a jogar futebol no Belenenses, Futebol Benfica, Terras da Costa, Pescadores da Costa da Caparica, Trafaria, União de Algés, Charneca da Caparica, Vale de Milhaços, SP. Ferreirense e Estoril-Praia. Como treinador comecei no Beira-Mar de Almada, e passei por clubes como o Trafaria, Os Belenenses no escalão de sub-19, Almada AC, Odivelas SAD e no Carregado, tudo isto em futebol de 11. Em futebol de praia treinei a Seleção Ncaional do Azerbaijão e a Casa do Benfica de Loures.

F.H: O que te fez optar por ser treinador de guarda-redes?

P.V: O que me fez optar pelo treino de guarda-redes foi o meu grande amigo Zé Manel Almeida que precisava de um treinador de guarda-redes para os Seniores do Beira-Mar de Almada, que iria ser o seu novo projecto. Depois de vários telefonemas decidi aceitar.

F.H: Como te descreves enquanto treinador?

P.V: Descrevo-me como um treinador apaixonado pela sua profissão, exigente, duro e amigo.

F.H: Qual o tipo de treino que mais gostas de dar?

P.V: Eu gosto imenso de trabalhar as qualidades técnicas de um guarda-redes.

F.H: Qual é o teu treinador de referencia no futebol? E no futebol de praia?

P.V: No futebol a minha referencia e o treinador de guarda-redes do DESP. CHAVES Carlos Pires, e na Praia Zé Miguel Mateus.

F.H: Quais as diferenças do treino de guarda-redes no futebol de praia para o futebol de 11?

P.V: A grande diferença e que os exercícios na praia têm que ser curtos, rápidos e intensos, derivado ao grande desgaste com a areia.

F.H: E o que muda no teu método de treinos?

P.V:  A única coisa que muda são os exercícios tanto na praia como no 11, sabermos onde estamos e o que pretendemos dos nossos guarda-redes.

F.H: Na tua opinião é possível um guarda-redes de futebol de praia conseguir ser bom também no futebol de 11 e vice versa?

P.V: Penso que sim temos vários Guarda-redes a conseguir chegar longe temos o caso do RICARDO agora no Desp. Chaves jogou pelo FC Porto (praia) , o Emanuel jogou no Sp. Braga (praia), o Hidalgo no Sp. Braga (praia). O ultimo a chegar a areia já com currículo no 11 foi o Paulo Graça. A mudança do 11 para a praia nem todos conseguem uma óptima adaptação a areia.

F.H: Qual a relação que gostas de ter com os teus guarda-redes?

P.V: Gosto de ter uma relação aberta. No primeiro dia de treino ficam com o meu numero telefone, a qualquer hora do dia da noite, tudo o que precisarem sabem que teem ali um amigo sempre disponível para ajudar, antes de cada treino um a um fala desde a simples dor de cabeça, ou os filhos não deixaram dormir, ou a mulher anda chateada. Eu preciso de saber tudo deles a cada dia para poder exigir o máximo deles de cabeça Limpa, as vezes só desabafarem ajuda imenso. Problemas todos temos… Acreditem eu dou o ombro e eles depois dão-me o abraço da Vitoria.

F.H: Qual até agora o guarda-redes que tu treinaste que mais te surpreendeu?

P.V: Ate hoje, em 8 anos como Treinador de guarda-redes os que mais me surpreenderam foi o João Carlos Delgado 44 anos e o Tiago Alves com 37 anos, consegui que treinassem como miúdos de 20 anos, a paixão que têm pelo treino e pelo jogo é enorme, motivar jogadores assim dá um enorme prazer, desistir não entra no vocabulário destes guarda-redes.

F.H: Que factores achas que um guarda-redes tem de ter para vingar no futebol quer na praia quer no relvado?

P.V: Posso agora falar mais da praia mas não foge muito disto, líder, corajoso, estável nas suas acções, capacidade de comunicação, disciplinado, relação com a areia, técnica de lançamento, velocidade de analise e reação, coordenação geral e agilidade, domínio do 1 x 1, descanso; entre muitas outras.

F.H: Qual o guarda-redes profissional que mais aprecias? E porquê?

P.V: Manuel Neuer , Marca a diferença para os outros guarda-redes com o seu maravilhoso jogo de pés.

F.H: Como descreves a tua passagem pela seleção do Azerbaijão?

P.V: Foi a Primeira experiência fora do Pais, nova Cultura, País e Língua Diferente. Mesmo pensamento treinar para vencer. Acompanhava um dos melhores treinadores do Mundo.
Foram dois anos positivos conseguimos duas Qualificações para a Super-Final. Participámos nos Primeiros jogos Europeus em Baku 2015. Fizemos uma qualificação para o campeonato do Mundo onde não conseguimos ser apurados. Jogamos uma Taça da Europa 2014. Experiência positiva e enriquecedora. Mas o mais importante e ver agora a fazerem o que o Mister lhe pedia. Trabalho feito.

F.H: E  como descreves a tua passagem pela Casa do Benfica de Loures?

P.V: Quando me convidaram para fazer parte deste projecto não olhei para trás ia disputar o campeonato de Elite.
Objectivo 4 primeiros lugares manutenção. Na primeira fase ficámos em 2 lugar só com 1 derrota frente ao Sp. Braga, depois nos quartos-de final eliminamos o Vitória de Setúbal, nas meias-finais perdemos com o Sporting CP e já esta época fomos campeões distritais, em resumo uma época bastante positiva. Excelente organização, muitos Parabéns a todo o staff e atletas. Continuamos na Luta.

F.H: Qual achas que é a tua fórmula para o sucesso dos teus guarda-redes?

P.V: Temos tempo para tudo.. para brincar e para brincar, sabem que quando e a sério sou Exigente e quero sempre mais, adoro vencer perder um simples jogo de treino ou mesmo um lance menos positivo dos meus guarda-redes tenho de rever dezenas de vezes o lance, fico doente. Quando encontramos o erro debato entre todos e chegamos sempre a boas conclusões, não voltar a repetir. EU ACREDITO NOS MEUS GUARDA-REDES E SÓ COM A SUPERAÇÃO DELES SERÁ O MEU TRIUNFO.

F.H: O que desejas alcançar no futuro?

P.V: Quanto ao futuro bem é o que eu peço à 8 anos, acordar cheio de vontade para ir para o treino, quando assim não for, guardo as luvas e fico em casa. Paixão pelo treino e pelo jogo sempre senão não vale a pena. O futuro a Deus pertence.

F.H: Para concluir esta entrevista pergunto-te se tens algumas dicas que possas dar aos treinadores mais jovens que começam agora a aventurar-se por estes caminhos?

P.V: Só posso desejar boa sorte e por favor não copiem nada de outros treinadores vejam, tirem notas e pensem por vocês próprios, façam os vossos esquemas de treinos, sejam organizados, vejam muitos vídeos na Internet, vão ver treinos de equipas superiores, peçam ajuda a treinadores mais experientes de certeza que vão vos ajudar eu também peço e não é vergonha nenhuma. Um guarda-redes cai muitas vezes mas levanta-se ainda mais… SEJAM FELIZES

F.H: Obrigado pela entrevista mister Paulo Viola em meu nome e em nome da Última Barreira desejamos a melhor sorte para os seus projetos quer presentes quer futuros projetos esses que a nosso ver irão ter selo de qualidade.

 

Agradecemos a colaboração:

Paulo Fortunato Viola

 

 

Facebook Comments