A Federação de Futebol dos Estados Unidos decidiu suspender por um período de seis meses, a guarda-redes Hope Solo, por “comentários antidesportivos” proferidos durante a participação da seleção norte americana nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

No final do encontro com a Suécia, referente aos quartos-de-final do torneio olímpico de futebol feminino, que os Estados Unidos perderam no desempate por grandes penalidades, Hope Solo chamou as nórdicas de “cobardes” pelo sistema defensivo que adotaram durante o encontro.

A guarda-redes americana recusou sempre um pedido de desculpas, mesmo depois das suas declarações terem produzido um impacto bastante negativo.

Num comunicado distribuído à comunicação social, o presidente da federação, Sunil Gulati, transmitiu a sua insatisfação relativamente às declarações da guarda-redes.

Os comentários de Hope Solo são inaceitáveis e ferem as normas de conduta que devem reger as jogadoras da seleção. Mais importante que a competição, e os resultados, é o comportamento desportivo inatacável que exigem uns Jogos Olímpicos, onde imperam os ideais de desportivismo e respeito.

Neste sentido, Gulati frisou que todos os que representam a Federação de Futebol dos Estados Unidos “devem honrar, sem exceção, esses princípios”.

Hope Solo, é vista como a melhor guarda-redes da história do futebol feminino norte-americano. A guardiã já se sagrou campeã mundial e bicampeã olímpica ao serviço dos Estados Unidos, somando, até ao momento, 202 internacionalizações.

As Olimpíadas de 2016 foram, sem dúvida, as Olimpíadas da polémica para Hope Solo. Antes do início dos Jogos, a guarda-redes ponderou rejeitar a sua participação, devido ao vírus Zika.

Agora, já com os Jogos Olímpicos terminados, Hope Solo acaba por ser suspensa devido a declarações antidesportivas enunciadas durante a competição.

Facebook Comments