Lovre Kalinić é o guardião do Hajduk Split, sendo natural da cidade do clube que representa. Tem já uma longa ligação ao clube croata e apresenta-se como um dos seus maiores talentos. Não tem títulos como profissional, num país que é dominado pelo Dinamo Zagreb no futebol, mas os bons resultados que o clube tem apresentado muito se deve ao seu talento. Desde que assumiu a baliza a “tempo inteiro”, o clube ficou sempre no terceiro posto e o seu registo defensivo tem vindo a melhorar com a experiência adquirida, tendo tido mesmo o melhor registo na época passada, de 2015/16. Já conta com 4 internacionalizações, sendo que sempre que entrou em campo pela seleção principal croata cumpriu.

Não existem muitos guarda-redes parecidos a Kalinić por esse mundo fora. Tem incríveis 2.01m, 96 kg, mas mesmo assim nunca fica preso de movimentos dado o seu porte atlético. Tem 26 anos, já não é uma jovem promessa, mas precisa urgentemente de dar o salto qualitativo na sua carreira para patamares competitivos mais elevados. É facilmente perceptível que domina nas alturas, mas não é apenas disso que é feito o seu jogo. Tem no seu posicionamento uma das suas grandes armas, reagindo com facilidade a qualquer tipo de estímulo, seja pelo ar ou pelo chão. O seu tamanho intimida até o jogador mais corajoso e no momento do remate adversário agiganta-se ainda mais. Tem facilidade em jogar com ambos os pés e lança com a mão esquerda. É forte nas reposições com as mãos, sendo esta uma das grandes fontes dos ataques rápidos da sua equipa tal a sua precisão. Pode, por incrível que pareça, controlar a profundidade com facilidade numa equipa com a defesa subida. Percebe, na maioria das vezes, quando deve sair da baliza ou permanecer na mesma, sendo de uma inteligência e percepção do jogo acima da média. Tem ainda como problemas a primeira organização de jogo com os pés, sendo um guarda-redes (por via das necessidades da sua equipa) que prefere o passe longo ao curto. O excesso de confiança em si por vezes pode atraiçoar, sendo por vezes precipitado no ataque à bola e na forma como termina o lance (seja a agarrar ou a socar a bola).

Tal como referido em cima, merece dar o salto na carreira. A Croácia, com todo o respeito, já é curta para o seu talento. Teve essa oportunidade no mais recente mercado de Inverno mas recusou a proposta do Aston Villa pela instabilidade desportiva que vivia, acabando mesmo por descer de divisão. O seu passe está avaliado entre 3-6 milhões e pela sua tipologia como guarda-redes, a liga inglesa era mesmo o lugar perfeito para prosseguir na sua carreira. Quando der esse salto qualitativo no clube que representa, pode sonhar com a titularidade da seleção. Falta o estatuto que Subasic tem de momento, porque em talento não fica atrás do guardião do Mónaco. Um futuro risonho para Lovre Kalinić se souber aproveitar as oportunidades na sua carreira.

  • Gonçalo Xavier para a ProScout, ver aqui

Facebook Comments