Entrevista A Última Barreira a Pedro Alves, guarda-redes titular da conquista histórica do Cova da Piedade na época passada no Campeonato Prio, sendo considerado um dos pilares em tal conquista.

  1. Como surgiu o gosto pela baliza?

Surgiu naturalmente, desde que me lembro sempre jogava à baliza,era o lugar onde me sentia confortável.

  1. Tiveste uma formação de excelência num clube competente nesse aspecto formador e chegaste à seleção portuguesa nos escalões de formação. Como é representar Portugal?

Representar Portugal é para mim o ponto mais alto na carreira de um jogador e ainda para mais tendo sido campeão europeu (sub16) e participado no torneio de Toulon(sub20) foi ainda mais gratificante.

  1. Quem mais te marcou, como treinador profissional e de guarda-redes, na tua carreira?

Como treinadores de “campo” houve uns que me marcaram mais,mas acabei por aprender com todos eles algo novo. Quanto a TGR marcou me o Valter Onofre ( Estrela da Amadora ), o Carlos Ribeiro ( Vitória Setubal) e o Candido Rego ( Pinhalnovense).

  1. Podemos dividir, numa análise superficial, a tua carreira em dois momentos: na 1ºliga e estando na “sombra” de grandes nomes da baliza em Portugal e outra fase, a partir dos 30 anos, a ser figura de destaque em equipas em divisões secundárias. Como descreverias a tua gestão na carreira?

Geri a minha carreira alicerçada em dois pilares. O 1′ sentir-me feliz no clube onde estava e a 2′ independente de jogar ou não , era sentir que as pessoas reconheciam o meu trabalho.

  1. Falando no teu clube actual, o Cova da Piedade, qual a tua opinião do clube e da cidade?

O Cova da Piedade foi um clube que me acolheu muito bem e me surpreendeu muito pela positiva, pq as pessoas responsáveis fazem um trabalho magnífico,é um clube muito organizado e acho que os nossos resultados recentes são o reflexo desse trabalho e organização. Quanto à Cidade acho que aos pouco começa a haver sintonia com o clube,o que considero importantíssimo para o clube se cimentar na liga 2.

  1. Foste nestes anos guarda-redes titular e o próprio treinador de guarda-redes. Como é desempenhar dois papéis tão importantes no teu rendimento desportivo? E como é que é o “Pedro treinador” e o que acha do “Pedro jogador”?

Desde que aceitei o convite para desempenhar as duas funções houve algumas coisas que ficaram definidas logo à partida; O treinador principal ( Sérgio Boris) é que seria responsável por fazer a escolha do guarda-redes titular, o suplente e o tempo de jogo de cada um em jogos treino. A minha função era realizar o trabalho do dia a dia.

O Pedro treinador gosta de um trabalho mais técnico, gosta muito de trabalhar o jogo de pés ( deslocamentos ) e a tomada de decisão.

Quanto ao Pedro jogador acho que a sua melhor arma é a leitura do jogo.

  1. Foste uma das peças chave na subida de divisão e conquista do campeonato no Cova da Piedade. Qual a sensação de ser campeão e de ter tanta importância nesse objectivo alcançado?

A sensação é espectacular, ainda para mais quando à partida nem sequer éramos dados como candidatos a irmos disputar a 2’fase. Quanto a importância,sinto que fiz o meu trabalho e que juntamente com os meus colegas conseguimos construir não só uma equipa mas também uma família e esse sim foi o elemento mais preponderante nesta caminhada.

  1. Os adeptos do clube, já dizem que és um dos melhores guarda-redes na história do clube. O que tens a dizer sobre isso?

Tenho a agradecer e a dizer que é realmente um orgulho ouvir essas palavras.

  1. Foi confirmado um concorrente de peso para a titularidade na próxima temporada. Já conhecias o trabalho do Filipe Leão? Será uma “luta” saudável pelo posto?

Conheço o Filipe apenas de jogar contra, e acho que é daqueles guarda-redes que poderia ter tido uma carreira muito melhor. Será sem dúvida uma luta saudável mas não nos podemos esquecer do Rui Dabô que é jovem, tem muita qualidade e uma margem de progressão enorme.Será uma dor de cabeça saudável para o treinador.

  1. Como descreves, para quem não te conhece, como pessoa e guarda-redes?

Penso que não sou muito diferente pessoa do que sou como guarda-redes… Como pessoa sou simples,calmo e um pouco introvertido… Como guarda-redes sou também calmo, concentrado e muito exigente comigo e com os que estão à minha frente ( equipa ).

  1. Quem foi a tua referência, como guarda-redes, ao longo da tua carreira? Tiveste algum ídolo?

Tive duas referências que me marcaram… Vitor Baía e Michel Preud’houmme .

  1. Qual é para ti o melhor guarda-redes do mundo e já agora… em Portugal?

Actualmente para mim é o Oblak, talvez pq me identifique mais com o estilo dele. Mas não posso tb deixar de assinalar o Buffon e Neuer. Em Portugal acho que o Ederson neste momento é o melhor.

  1. Qual a tua opinião sobre o guarda-redes português e o treino que se faz no nosso país?

Acho que o guarda-redes Português é de qualidade mas precisa de mais oportunidades, precisa que se aposte nele . Quanto ao treino houve uma evolução tremenda nesse aspecto nos últimos anos. Julgo que estão criadas as condições para que no futuro possamos vir a ter grandes guarda-redes.

  1. Quais as expectativas para a próxima temporada?

O nosso objetivo vai certamente ser a manutenção na liga 2.

  1. Como descreves A Última Barreira e o seu trabalho?

Considero que “A Última Barreira”  tem realizado um trabalho magnífico sobre os guarda-redes,é uma página com informação sempre actualizada e que realiza análises cuidadosas do que se passa dentro das redes, disponibilizando vídeos e notícias diárias.

Muito obrigado ao Pedro pela entrevista feita e as maiores felicidades na carreira! Entrevista feita por Gonçalo Xavier.

Sigam A Última Barreira aqui: (página) 

Facebook Comments