O seu nome é Bruno Filipe Santos, nasceu dia 30 de Agosto, natural de Amora, e tem 14 anos. Joga no Real Sport Clube (Real Massamá) sendo guarda-redes do escalão de iniciados que compete no Campeonato Nacional da mesma categoria e A Última Barreira teve a oportunidade de colocar algumas questões a este atleta nacional.

Frederico Hilário: Olá muito bom dia Bruno é um prazer finalmente poder te conhecer.

Bruno Santos: Obrigado é uma honra para mim fazerem-me esta entrevista.

F.H. : Começamos como é obvio pela pergunta mais básica de se fazer a um guarda-redes, mas por vezes também a mais difícil de responder. O porquê de seres guarda-redes?

B.S. : Decidi ser guarda-redes e isso aconteceu muito por causa do meu irmão que também é guarda-redes e tentei seguir as pisadas dele.

F.H. : Muito bem então quer dizer que ser guarda-redes está-te no sangue. Como te caracterizas enquanto guarda-redes?

B.S. : Sou uma pessoa que gosta de ser amigo dos meus amigos, dentro de campo gosto de mostrar quem é que manda dando ordens aos meus companheiros, também sou trabalhador tendo vindo a melhorar nas minhas fraquezas; infelizmente no Real não tenho treinador de guarda-redes mas ás vezes o treinador dos juniores dá-nos treino e aproveito também o facto do meu irmão ser guarda-redes tendo aprendido muito com ele.

F.H. : Quais são os teus pontos fortes?

B.S. : Os meus pontos fortes são o um para zero, bolas paradas e também gosto de defender grandes penalidades.

F.H. : ( risos) Defender grandes penalidades mas isso também quem não gosta. Bruno como reages em momentos de maior pressão?

B.S. : Tento aliviar ao máximo a cabeça e fazer o mesmo para os meus colegas.

F.H. : Quais os clubes por onde passaste?

B.S. : O primeiro clube foi o Amora, estive 2 anos na margem sul, depois fui para o Seixal, do Seixal fui para o Benfica, do Benfica passei para os Belenenses onde fiquei durante 4 épocas e agora estou no Real Sport Clube.

F.H. : Durante esse teu percurso todo qual foi o treinador que mais te marcou?

B.S. : O treinador de guarda-redes que mais me marcou foi um senhor chamado Gonçalo Simões, que quando eu fui para o Benfica sempre acreditou em mim e nunca desistiu de mim.

F.H. : Soubemos também da tua pequena lesão que te afetou no inicio da época quando ainda estavas no Os Belenenses, tendo-te custado a titularidade. Como vês o facto de ser suplente?

B.S. : Ser suplente é para mim uma forma de me incentivar ainda mais, porque sempre que não jogo isso significa que eu não treinei bem, que o outro guarda-redes trabalhou melhor. Resumindo é um sinal que eu tenho de me aplicar mais e melhorar nos treinos.

F.H. : Como profissional congratulo-te pela chamada ao estágio da seleção. Qual foi a sensação de seres convocado para a seleção?

B.S. : Senti uma enorme alegria é um orgulho estar na seleção mesmo que seja apenas para um estágio, sei que também estão lá outros grandes guarda-redes, tenho que trabalhar cada vez mais para conseguir alcançar o meu sonho.

F.H. : Quais as tuas perspetivas para o futuro?

B.S. : Melhorar, melhorar cada vez mais as minhas qualidades, os meus pontos mais fracos trabalhar para virem a ser pontos fortes, conseguir chegar há seleção nacional portuguesa, ser titular na seleção e chegar a um clube de grande dimensão.

F.H. : Para terminar Bruno, qual é o teu ídolo?

B.S. : O Manuel Neuer.

F.H. : Porquê?

B.S. : Ele é o meu ídolo porque é um guarda-redes completo e quem me dera um dia chegar ao nível dele.

F.H. : Esperamos que consigas chegar a esse nível e alcançar os teus sonhos. Da minha parte e da parte da A Última Barreira uma vez mais agradecemos-te por teres aceite o nosso convite e esperamos que o teu futuro seja risonho.

B.S. : Obrigado foi uma honra ser entrevistado pela A Última Barreira, e desejo-vos também boa sorte nos vossos projetos.

Facebook Comments