É uma questão que ficou na nossa cabeça, durante alguns (longos) minutos, depois de ver o onze inicial do Tondela para o encontro com o Boavista.  Acabaram por perder por 2-1 mas isso, neste caso, não é muito relevante para o que queremos comentar nem é um comentário à sua exibição (até porque não vimos).

Noticiamos há 5 dias atrás, a 20/Jan, (ver aqui) que Zubikarai tinha sido contratado pelo Tondela e que Matt Jones sairia do clube. Isto na ressaca de um empate no campo do líder do campeonato nacional, o Sporting. Se a contratação do espanhol foi surpreendente, a reacção do staff de seguida é questionável.

Na altura do jogo em Alvalade, falamos aqui que Claudio Ramos que vinha de uma senda longa de jogos seguidos a titular e com boas exibições não fazia sentido ir para o banco nesse encontro. E não é que, no jogo a seguir e com 5 dias de “casa” do espanhol Zubikarai, é ele o titular? Um guarda-redes que esta temporada não tinha qualquer jogo efectuado? Isto é política, que mensagem passam?

Não estamos a colocar nada em causa. Apenas sabemos aquilo que vemos e isto é além de chocante, é injusto. Um treinador que coloque um reforço logo a jogar, passa a mensagem que não confia nos que existem (neste caso Claudio Ramos e Miguel Batista). E esta mensagem nunca é um bom sinal. E quando um guarda-redes que não conhece as rotinas da equipa, da liga e que não tinha minutos esta época e mesmo na época passada pouco (ou nada) jogou na 2ºvolta, é passar que mensagem mesmo? As palavras para descreverem isso ultrapassaria o limite e como tal basta enunciar a situação que responde por si.

O guarda-redes português não é competente, é isso que querem fazer passar? Se não é… parece.

  • Gonçalo Xavier – A Última Barreira
Facebook Comments