O jogo escolhido foi o Stoke-Leicester, ou melhor, Butland frente a Kasper Schmeichel. Que belo duelo para começar!

Dando um contexto inicial, pré-jogo, o Stoke encontrava-se na linha de água e sem qualquer vitória. Já o Leicester encontrava-se em 2ºLugar sem derrotas, apenas atrás de um Manchester City invencivel. Apesar de disparidades na tabela classificativa, apresentaram-se em campo com o mesmo número de golos sofridos (7 em 5 jogos) e curiosamente acabaram o encontro com tal semelhança… mas com mais dois golos sofridos. As diferenças encontravam-se mesmo no aproveitamento ofensivo. Um dado também curioso, é que ambos sofreram golos em todos os jogos e este não foi excepção.

Começou o encontro, e o Leicester com mais força ofensiva remeteu a equipa da casa à sua área defensiva. Butland mostrou calma e confiança desde a primeira investida, com mãos bastante firmes. Fosse por jogo interior ou lateralizado, terminado em remate ou cruzamento (alto ou rasteiro), o jovem guardião inglês estava a mostrar segurança e parecia muito confortável no encontro. Do outro lado, Kasper Schmeichel apenas via os remates da equipa da casa entrarem na baliza, sem esboçar qualquer reação. Dois erros de posicionamento da defesa, o primeiro por permitir o passe na profundidade e o segundo por mau alivio, deram origem a dois lances com o avançado isolado a não facilitar. Kasper costuma ser bastante complicado de ser ultrapassado neste tipo de lance, mas desta vez ficou perplexo por tanta apatia da defesa. Aliás, durante todo o encontro, Kasper não foi chamado ao jogo sem ser por reposição com os pés ou mãos exceptuando um remate num livre forte aos 80 minutos.

Focando mais em Butland (esteve predominantemente mais em jogo), esteve muito confiante durante todo o encontro. Parecia mesmo intrasponivel na 1ºparte em jogo corrido, tal a sua postura dentro de campo. Registo a nivel individual para uma grande intervenção num remate exterior, que ressaltou à sua frente. Na 2ºparte não foi chamado ao jogo praticamente, tendo sofrido dois golos sem qualquer culpa individual. O primeiro de penalty e o segundo num contra-ataque com o jogador na cara do guardião, engana no lado num ultimo momento.

A nivel geral das capacidades dos dois intervenientes e tendo em conta o jogo, Butland mostrou sempre estar muito confiante para alguém que assume a baliza titular na 1ºliga há tão pouco tempo. A herança de Begovic não pesou em nada. A nivel do posicionamento e velocidade de reação é incrivel com uma curiosidade… Mantém sempre o “corpo alto” perante qualquer investida em remate do adversário. A nivel de reposições, sai a jogar curto quando não é pressionado. Quando é, bate forte para as alas, geralmente para o avançado que vai cabecear a essa zona para dar seguimento à jogada. Já Kasper, bate sempre longo. Não inventa com os pés e procura na maioria das vezes uma solução mais rápida.

Para terminar, e num jogo que encontrava 2-2… Butland tem um lance que decide fintar o adversário, com uma calma heroica. Isto aos 93 minutos. Mostra bem a capacidade mental deste prodigio inglês. Em suma, um grande jogo, em que os guarda-redes fizeram os serviços minimos e o exigido, não comprometendo em qualquer momento as suas equipas.

Facebook Comments