Preparar o Guarda-Redes para o jogo é treinar o jogo, mas principalmente o “cérebro” para perceber o jogo.

É importante ter uma técnica de excelência, é necessário ter as características físicas ideais, etc, mas que nos interessa que o Guarda-Redes tenha tudo isto se não souber como, quando e onde aplicar.

Onde entramos nós, como treinadores, neste processo?

Na minha opinião deveremos “dar” ao GR nos processos de treinos, o maior número de tarefas, para que tenha “gravado na mente” um grande leque de possíveis respostas. Se aparecer uma situação que nunca tenha sido vivenciada, teremos bastantes dificuldades em decidir, o que nos fará gastar mais tempo e mesmo assim poderá não ser a resposta mais adequada ao estímulo.

Mas tambem devemos obrigar o GR a pensar, a ganhar inteligengia de jogo einteligencia tática. Não deveremos ser nós treinadores a dar todos “clicks” para que aconteça algo. O inesperado faz-nos crescer, obriga-nos a estar sempre alerta, sempre concentrado.

Com este tipo de ideia de treino o GR ficará com a capacidade de visualizar, entender,processar a informação e daí conseguir uma melhor tomada de decisão para cada situação instantânea do jogo, não somente no aspeto defensivo mas também, e cada vez mais, no aspeto ofensivo.

Em: http://guardaredestreino.blogspot.pt/2015/01/treinar-o-cerebro.html

Facebook Comments